Recolha Selectiva de Resíduos - Factor Chave para a Economia Circular

No dia 29 de Maio a Planetiers esteve presente na conferência “Recolha Selectiva de Resíduos - Factor Chave na Economia Circular” que decorreu no auditório da EDP no Porto organizado pela LIPOR e pela ACR+.

Recolha Selectiva de Resíduos - Factor Chave Economia Circular - LIPOR - ACR+

A sessão de abertura foi presidida por Aires Pereira e Josep Maria Tost, respectivamente presidentes da LIPOR e ACR+ que o foco na economia circular implica um aumento da segmentação da recolha para além dos ecopontos e começar a olhar para o lixo como matéria prima tentando fechar os ciclos das matérias primas. Seguiu-se o Eng. Carlos Martins, secretário de Estado do Ambiente apontou o compromisso para a comunicação e I&D nas novas licenças de gestão de resíduos, na revisão da capacidade de gestão de biorresíduos e na criação de impostos verdes para premiar bons desempenhos corporativos.

Eng. Carlos Martins - Sec. Estado Ambiente - Medidas Economia Circular

Na primeira sessão dedicada ao estado atual da gestão de resíduos, Julius Langendorff, deputado europeu lembrou que Portugal teria que seguir as formas de contabilização dos resíduos vigentes na UE e aumentar a atual taxa de reciclagem de 30% para 50% sob pena de ter de justificar a derrogação.

Gestão Lixo Municipal na União Europeia - PT - Aterro - Inceneração - Reciclagem - Julius Langendorff

Ana Sofia Vaz, da Agência Portuguesa do Ambiente, concordou na íntegra com o seu antecessor, afirmando que o aumento da taxa de reciclagem e a diminuição da taxa de aterro dos atuais 50% para a meta de 10% carece de uma reformulação da governança, da captura de benefício económico e da rede de infra-estruturas. Paolo Canfora, especialista em economia circular reportou algumas boas práticas como os modelos Pay-as-you-throw (PAYT), sensibilização da população na redução do consumo, no estabelecimento de uma rede de consultores do “lixo” e na adopção de indicadores consolidados de gestão de resíduos sólidos urbanos.

Melhores de Práticas Gestão de Resíduos - Paolo Canfora

A segunda sessão foi afecta ao papel da recolha selectiva na economia circular. Jean-Benoit Bel, da ACR+, apresentou a plataforma Collectors 2020 que propõe nivelar as boas práticas da recolha selectiva a nível europeu com um plano estruturado em três fases: Inventário, Avaliação e Implementação. Alexandra Lange, do CITEO, especialistas em eco-embalagens que atingiram 68% de reciclagem doméstica e pretende focar nas bebidas e comida. Nuno Soares e Luís Capão, responsáveis pela gestão de resíduos das câmaras de Lisboa e Cascais, respectivamente, mostraram o que melhor se faz na área com o fomento da compostagem doméstica e iniciativas circulares como o Corepair hub do Beato ou de fomento de práticas de cidadania com gamificação CityPoint Cascais.

Repair Hub do Beato - Hub Criativo do Beato - Economia Circular - Inovação Social - Nuno Soares

A parte da tarde foi dedicada a casos práticos nas áreas dos plásticos, biorresíduos e a promoção de inovação na economia circular. No plástico Olivier Thomas, da SUEZ, que defendeu que a venda de resíduos reciclados deveria cobrir os custos de recolha e reciclagem apostando numa separação mais eficaz. Na área dos bioressíduos, Céline Schaar apresentou o modelo descentralizado de recolha belga iniciado em 1998 com formação dos cidadãos na compostagem e em 2016 foi associado às iniciativas “Good Food” e “Zero Waste”.

Good Food Brussels - Alimentação Saudável - Desperdício Zero - Redução Desperdício Alimentar - Bélgica - Celine Schaar

Na parte da inovação, Guiseppe Landolfe da Procter & Gamble apresentou um piloto em Itália de economia circular na qual recolhe as fraldas descartáveis e valoriza os seus componentes plástico, celulose e polímero superabsorvente.

P&G - Recolha Selectiva de Fraldas - Economia Circular - Estudo Piloto Itália - Treviso - Guiseppe Landolfo

A Fibrenamics apresentou, pela mão de Raul Fangueiro, o seu portefólio com destaque para a Slatetec que valoriza um resíduo, pó de ardósia, numa mistura polimérica que preserva as caracteríscas técnicas da ardósia possibilitando novas geometrias, cores e propriedades antimicrobióticas.

Slatetec - Resíduos Ardósia - Economia Circular - Fibrenamics - Empresa das Lousas de Valongo

A Lipor mostrou como tem conseguido manter a viabilidade económica da sua atividade tratamento de resíduos e como tem conseguido sensibilizar a população para a compostagem e agricultura biológica enquanto se prepara para assumir novos desafios acrescentando valor económico aos mesmos através de produtos.

Horta à Porta - Agricultura Biológica - LIPOR - Compostagem - Nutrimais

Deixa-nos um comentário

Nome .
.
Mensagem .

Tenha em atenção que os comentários precisam de ser aprovados antes de serem exibidos