A EPAL são as PESSOAS

Se o motivo da festa era a comemoração dos 150 anos da EPAL, a causa revelou-se outra surpreendentemente… HUMANA.

No dia 2 de Abril de 2018 deu-se a comemoração dos 150 anos da EPAL - Empresa Pública das Águas de Lisboa, designação adotada em 1974 e que sucedeu à Companhia das Águas de Lisboa, constituída em 1868. A festividade ocorreu pelas 18h no Reservatório da Mãe d’Água das Amoreiras e contou com a presença de várias entidades como o ministro do ambiente, Matos Fernandes, como de outras individualidades ligadas ao setor da água e ambiente… e claro está, a equipa Planetiers.

A comemoração de aniversário de uma empresa raramente surge associada à dimensão humana, assentando maioritariamente na formalidade inerente de um valor máximo corporativo - o legado.

No entanto, à medida que a cerimónia se foi desenrolando, as conversas e discursos festivos, os regozijos próprios da ocasião... qual não é a surpresa ao constatar a jovialidade e energia de uma menina de 150 anos. Ao invés de se colocar em bicos de pés e puxar pelo respeito da idade, pela formalidade ou por uma herança de 150 anos, foi outra a realidade compreendida.

A EPAL que observei foi outra, é a que não se agarra aos formalismos associados a uma herança de 150 anos, às trivialidades de taxas, gestão de caudais ou piquetes 24 horas.

A EPAL que eu percebi é a das pessoas. É a alegria ao encontrar um antigo professor do Instituto Superior Técnico, o Prof. António Bento Franco e perceber que o seu legado como administrador na empresa… é o humano. É trabalhar semanalmente com a equipa de Marketing e ser contagiado pela alegria inspiradora de uma Diana Constant. É poder colaborar com o Diretor de Comunicação e Educação Ambiental, Marcos Sá, e ser inspirado pelo caminho percorrido, pela coragem de mudar um Status Quo na forma de comunicar e agir na educação ambiental, inspirando à mudança e adaptação aos novos desafios.

Mas afinal, onde é que já se viu uma empresa pública a querer “vender” água infinitamente “engarrafada”? Ou confiar no sistema de água que gere para “vender” água bebível para todos? Ou a apoiar o empreendedorismo jovem em modo Startup, descendo do pedestal de 150 anos para colaborar com o Mercado Online Sustentável no alto dos seus 10 meses?

Combater a poluição dos oceanos pela promoção de garrafas reutilizáveis para todos as ocasiões, seja no seu dia a dia com uma Fill Forever ou nas conferências e hotéis mais conceituados com uma Lisbon Soul by Siza Vieira ou a nova Lisbon Tap Water Bottle?  

Apostar continuamente na inovação de sistemas de gestão e eficiência hídrica, seja pelo clássico AQUAmatrix ou o serviço de monitorização do consumo de água em tempo real Waterbeep ou o movimento educacional para eficiência Aqua eXperience, promovido juntamente com a ADENE, encaminhando o utilizador para a equação da eficiência, pela geração de uma comunidade sustentável: preocupada, informada e proativa.

Enfim, se é verdade que é muito raro alguma empresa comemorar 150 anos, mais raro ainda será algum de nós investir o seu tempo para o ir comemorar e gostar do que viu. É perceber que o trabalho desenvolvido não se restringe ao legado de 150 anos, mas sim, abraça os desafios das gerações futuras. É seguir à frente dando o exemplo. É pegar na bandeira da sustentabilidade e não fazer um mantra oco, é lutar no aqui e agora, com as ferramentas de que se dispõe. Nem que seja… a “vender” água.

Pedro M. M. Carreira – Equipa Planetiers

PRODUTOS NA LOJA PLANTIERS:

Deixa-nos um comentário

Nome .
.
Mensagem .

Tenha em atenção que os comentários precisam de ser aprovados antes de serem exibidos