Como Ter Menos Impacto Na Indústria Têxtil

É difícil imaginarmos um mundo sem têxteis. Um mundo sem roupa. Um mundo sem moda. Desde sempre, foram as roupas que nos deram conforto e proteção, com o bónus de poderem representar de forma simples e direta a nossa individualidade e personalidade.

Tudo estaria bem, não tivessem, entretanto, mudado os tempos, as vontades e os padrões de consumo. A indústria da moda é a 5.ª mais poluente a nível mundial, é responsável por perdas a níveis de ecossistemas e de regeneração de recursos inestimáveis e criou em nós necessidades que há algumas décadas não existiam. A produção e descarte de artigos têxteis não para de aumentar e a fast fashion (apesar de muitos ainda não o terem visto) é o novo inimigo público número um.

Impacto da industria textil

Mas afinal, como é que podemos ter menos impacto na indústria têxtil? Fácil. Através das nossas escolhas. E de algumas reflexões simples:

  • Preciso mesmo desta peça? – afinal, porque razão vou comprar esta peça? Quantas vezes a vou usar?

  • Como foi feita esta peça? – os trabalhadores receberam um pagamento justo pelo seu trabalho? Trabalharam com condições e sem estarem expostos a químicos tóxicos? Existiu trabalho infantil?

  • O preço é justo? – pensem no processo de produção de uma peça: o cultivo da matéria prima, apanha, tecelagem dos fios, transformação em tecido, tingimento de cor, desenho da peça, molde, corte, costura, acabamentos, embalagem, expedição, … dá que pensar, não dá?

  • Qualidade acima da quantidade – as compras baratas são, na maioria das vezes, uma ilusão. Compramos muito por um preço acessível, mas muitas vezes a qualidade das peças deixa muito a desejar. E que tal trocar o paradigma? Comprar pouco (e pagar um pouco mais, sim) mas com muito mais qualidade e que dure “uma vida”.

  • Escolher em quem votamos – como consumidores, temos o poder de escolher quem queremos apoiar, com que práticas concordamos e o que é importante para nós. Cada vez que compramos alguma coisa, estamos a dar um voto de confiança a essa empresa, a essa marca. Estamos a dizer que concordamos. Por isso, da próxima vez que forem comprar alguma coisa, lembrem-se disto.

  • Comprar em segunda mão – por muito estigma que ainda possa existir quando se fala em comprar em segunda mão, esta é uma das melhores opções que existem a nível ambiental. Afinal, não estamos a contribuir para alimentar “a máquina” e podemos ainda assim ter roupas novas. E sim, acreditem, compra-se muito boa roupa em segunda mão.

  • Participar em trocas de roupa – formais, informais, com amigos, tios, primos, na associação do bairro, pouco importa. O que importa é que assim estamos a evitar o desperdício e a produção de novas peças.

Impacto na Industria textil

Ser consciente e ter um impacto mais positivo no mundo não é difícil. E está tudo nas nossas mãos. Vamos a isso?

Vê mais sobre este tema aqui ou sobre os custos ambientes da moda aqui.

Passamos de 4 coleções por ano para quase 52, porque a roupa é tão barata que nos podemos dar ao luxo de comprar uma peça para utilizar só uma vez e deitar fora.

Mas nem tudo é mau. Já se começam a ver pequenas mudanças na indústria e pessoas com muita vontade de mudar este modelo de negócio. Não é fácil lutar contra os gigantes, contra quem tem o poder. E, no meio desta luta, esquecemo-nos muitas vezes de uma coisa muito importante: enquanto consumidores, temos o poder todo nas nossas mãos.

cadeia da industria textil

O blog Âncora Verde, da Leila Teixeira é um espaço de partilha. Partilha de projetos, de pessoas, de boas práticas, de estilos de vida, de informação.

É um espaço que não se encaixa numa definição, mas que se rege por valores ecológicos, éticos e de sustentabilidade.

Encontra também Âncora Verde nas redes sociais. 

 
PRODUTOS NA LOJA PLANETIERS:
Encontra muitas mais ofertas de moda mais sustentáveis aqui.
 

Deixa-nos um comentário

Nome .
.
Mensagem .

Tenha em atenção que os comentários precisam de ser aprovados antes de serem exibidos