Como Identificar Os Diferentes Tipos de Plásticos

Com várias formas e feitios, o plástico pode ser encontrado em (quase) todo o lado: na roupa que vestes, no telemóvel, na televisão que vês lá em casa, no cartão multibanco que usas para pagar o jantar com os amigos… no contentor do lixo e também dentro e fora dele… nos passeios da tua rua, na sarjeta das estradas, nos rios, nos lagos, nos mares e nos oceanos.

Como o seu próprio nome indica (do grego plastikós, que significa "adequado à moldagem"), o plástico é sem dúvida um dos materiais mais versáteis dos nossos tempos. É barato, leve e duradouro (podendo levar séculos até à decomposição) pelo que o seu uso tem vindo a crescer continuamente nos últimos 50/60 anos.

Rede com vários tipos de garrafas de plástico

Atualmente, aproximadamente 40% da produção de plásticos na Europa destina-se ao sector das embalagens. A construção civil, os transportes, os aparelhos eléctricos e electrónicos, a indústria têxtil e a agricultura são ainda outros sectores importantes que beneficiam do uso dos vários tipos de plásticos.

Plásticos – afinal o que são?

Consulta aqui o Vídeo National Geographic sobre "o que é o plástico?"

 

 

Os plásticos são compostos orgânicos (os seus átomos de carbono podem estabelecer ligações com átomos de hidrogénio, oxigénio, azoto, enxofre ou cloro) produzidos a partir da conversão de produtos naturais ou fabricados artificialmente a partir dos combustíveis fósseis.

São polímeros com longas cadeias moleculares formadas por monómeros, pequenas unidades moleculares que se repetem.

Composição Molecular do Polímero PET

Legenda- Polímero PET

Muitos plásticos possuem ainda aditivos, que são incorporados nos polímeros de forma a melhorar certas propriedades mecânicas, químicas e/ou físicas (como a resistência à combustão), e impurezas.

Tipos de plásticos

A grande maioria dos plásticos (os chamados termoplásticos) pode ser moldada numerosas vezes, derretendo pela acção do calor e endurecendo novamente quando arrefece. Os seguintes plásticos sintéticos pertencem a esta categoria: Polietileno (PE), Politereftalato de etileno (PET), Policloreto de vinilo (PVC), Polipropileno (PP), Poliestireno (PS) e Poliestireno expandido (EPS).

Porém, nem todos os plásticos são moldáveis sucessivas vezes. De facto, os plásticos termoendurecidos (ou termorrigidos) - como o Poliuretano (PU) e a Baquelite - sofrem alterações irreversíveis quando expostos a uma determinada quantidade de calor. Por este motivo, não são recicláveis mecanicamente, embora possam ser reutilizados noutras aplicações.

Como Identificar os Diferentes Plásticos

Já reparaste que as embalagens e os produtos de plástico são geralmente identificados com um símbolo que contém um número e letras?

Simbolos e Sistema de identificação de Plásticos

De forma a facilitar a separação e a reciclagem dos materiais plásticos após o seu consumo, foi criado um sistema de identificação (usado em todo o mundo) baseado nas resinas plásticas que compõem os vários objectos.

  1. PET – É usado na criação de materiais e embalagens com elevada qualidade, como garrafas, fios de pesca, fibras têxteis (poliéster), fios de vassouras, entre muitos outros. É leve, forte e transparente.

É reciclável, sendo o plástico mais reciclado a nível mundial. Em Portugal, a reciclagem do plástico PET é realizada em empresas como a Ecoibéria e a Evertis.

Infografico quantidade de plásticos utilizados numa tshirt

  1. PEAD – Polietileno de alta densidade – Podes encontrar este tipo de plástico em pacotes de iogurte, em embalagens de detergentes e de produtos de higiene, mangueiras, entre outros. É um material opaco e resistente.

É reciclável (excepto se tiver contido certos produtos) podendo ser usado para fazer novos vasos, tubos e componentes informáticos. Em Portugal, a reciclagem do plástico PEAD é realizada em empresas como a Sirplaste, entre outras.

  1. PVC – É um plástico muito versátil. Leve, impermeável, isolante (térmico, eléctrico e acústico), resistente a fogo e intempéries e quimicamente inerte, pode assumir muitas formas flexíveis ou rígidas. Pode ser encontrado em brinquedos, janelas, tubos de esgotos, sinalética, bolsas de soro médico e nos cartões MB.

Cartão de crédito amarelo feito com PVC reciclável

É reciclável, podendo ser usado no fabrico de mobiliário de praia e jardim e estruturas várias, como pontes e passadiços. Em Portugal, o PVC pode ser reciclado em empresas como a Extruplás, entre outras.
  1. PEBD – Polietileno de baixa densidade – Este plástico é usado no fabrico de sacos do lixo, película aderente, no revestimento das embalagens Tetrapak®, etc. É leve, flexível e impermeável.

É apto a reciclagem. Em Portugal, o PEBD pode ser reciclado em empresas como a Reciclominho, entre outras.

  1. PP – Usado no fabrico de copos, embalagens e caixas variadas, palhinhas, para-choques, seringas, entre muitos outros objectos, este plástico é rígido, impermeável, leve e resistente às alterações de temperatura (termorrigido).

Copo de plástico feito com PP reutilizável

É reciclável. A sua reciclagem em Portugal é realizada em empresas como a Recipolymers, a REP, entre outras.

6 . PS – É um plástico brilhante, rígido, leve e impermeável usado no fabrico de embalagens de gelados, iogurtes, portas e gavetas do frigorífico, pratos e copos descartáveis, etc. Na sua forma expandida (EPS, esferovite), pode ser encontrado em embalagens de equipamentos electrónicos e como isolante térmico.

Os plásticos PS são recicláveis. Em Portugal, a esferovite (EPS) é reciclada em empresas como a Fischer EPS 20, a Plastimar, entre outras.

  1. Outros – Este grupo inclui todos os outros tipos de plásticos que não têm uma numeração específica, como o policarbonato (PC), acrílicos, poliamida e ABS, bem como combinações de vários tipos de plástico. Estes plásticos podem ser encontrados em solas de calçado, computadores, telemóveis, CDs, etc. Infelizmente, nem todos são recicláveis.

CD dourado, outro tipo de plástico

Consegues imaginar a tua vida sem plástico?

Embora muitos plásticos sejam potencialmente aptos para reciclagem, apenas uma pequena percentagem dos mesmos é reciclada a nível mundial.

Vivemos em tempos delicados. Enfrentamos grandes desafios ambientais. Os milhões de lixo plástico que se têm acumulado no nosso Planeta e nos nossos Oceanos têm tido efeitos devastadores nos nossos ecossistemas, afectando e ameaçando gravemente a vida de muitas espécies de seres vivos (incluindo a nossa).

A qualidade de vida dos seres humanos começa igualmente a correr sérios riscos, mesmo em países ambientalmente conscientes.

Cabe-nos a todos nós fazer a diferença e salvar o Planeta.

Talvez não seja possível viver uma vida sem plástico nos nossos dias modernos. Mas é sem dúvida possível viver:

  • usando apenas o essencial,
  • reutilizando tudo ao máximo,
  • e, no final, reciclando tudo, tanto quanto possível.

Podes ver todas as soluções Planetiers anti-plástico descartável neste link, onde encontras desde pratos comestíveis a copos compostáveis.

Movimento Sem Palhinhas

Este artigo foi escrito pela Inês Gonçalves, membro do Movimento Sem Palhinhas, que tem como objectivo criar uma comunidade e sensibilizar todos com pequenos gestos, dicas e eventos de cariz solidário que possam fazer diferença no nosso planeta. Ainda não os conheces?

Visita as redes sociais e conhece mais sobre este projeto, no Instagram ou no Facebbok.

Fica a par de tudo sobre o Movimento #SemPalhinhas no site 💚.

Deixa-nos um comentário

Nome .
.
Mensagem .

Tenha em atenção que os comentários precisam de ser aprovados antes de serem exibidos


Artigos Relacionados

Palhinhas Biodegradáveis, Comestíveis e sem Açúcar | Novidade da Semana
Palhinhas Biodegradáveis, Comestíveis e sem Açúcar | Novidade da Semana
Queres dizer não às palhinhas de plástico? As palhinhas da Solitud são a solução para ti!
Ler Mais
Bioplásticos: Parte da Solução ou do Problema?
Bioplásticos: Parte da Solução ou do Problema?
Queres acabar com o uso de plástico descartável? E se os teus sacos de bioplástico estão a contribui
Ler Mais
Razões para teres a tua horta em casa
Razões para teres a tua horta em casa
Com a chegada da primavera vamos dar-te algumas razões para começares uma horta em casa. Fica a sabe
Ler Mais